17 maio, 2011

Danou-se!


Observe a capa deste livro:
Se você ainda é estudante,provavelmente a verá...
O PNLD(Programa Nacional do Livro Didático) do MEC,distribuiu a cerca de 485 mil estudantes do ensino fundamental e médio uma publicação que faz uma defesa do uso da língua popular,mesmo que incorreta.
Os autores do livro defendem a alteração do conceito de se falar certo ou errado.
Para uma das autoras do livro "não se aprende Português decorando regras ou procurando palavras corretas no dicionário".
Em resposta o Ministério da Educação informou que a norma culta será sempre cobrada em provas e avaliações,mas que o livro estimula a formação de cidadãos que usem a língua com flexibilidade( se querem flexibilidade é melhor adicionarem um curso de oratória nas escolas públicas).
AGORA PENSA...
...tudo bem que nossa língua é rica,que regionalismo,estrangeirismo,gírias e colocações erradas  fazem parte do nosso cotidiano,mas agora levar isso pra sala de aula é demais.
Além de tudo isso, pensam em cobrar a norma culta em concursos,vestibulares e em provas diversas.Como podem cobrar uma coisa que eles mesmos não introduzem no ensino?
Qual seria a funcionalidade da escola a partir de então?Praticamente nenhuma,já que com essa decisão as pessoas poderiam aprender a língua portuguesa  no ponto de ônibus,na padaria,no mercado,na rua...
O PIOR de tudo,é que isso é só o começo,é só a ponta do iceberg.
Como serão nossos futuros Médicos,Psicólogos,Engenheiros,PROFESSORES?
Será mais uma forma de formar cidadãos burros,que de fato são mais manipuláveis?
Tenho pena de nós brasileiros,que já  possuímos uma educação deficiente e ainda precisamos passar por mais essa.

Sabe o que é mais incrível que isso?

* avisada dessa travessura do Lula pelo Alexandre (Ominia Vincit).

Fontes:O globo,Veja.

9 comentários:

Canto do Zetty disse...

:))

Revistacidadesol disse...

Vanessa: a professora é contra corrigir a fala. Ouça sua própria fala. Faça esse exercício. Uma coisa é a língua escrita, outra é a falada. Foi isso q estava no livro.

Abs!

Wanessa disse...

Ela aplicar isso em sala de aula é uma coisa,ela passar essa mesma aplicação em um LIVRO de PORTUGUÊS é um pouco demais.
Bem,pelo menos em minha opinião.

Guga disse...

=))
só no Brasil msm,kspaokpsoakspa se falar errado para o futuro é um problema imagina então escrever errado skaposkapsoka.
O Brasil é novo ele ainda aprende 8-}

Revistacidadesol disse...

Wanessa e Guga: vocês não entenderam ainda o que foi proposto pelo livro didático, só a interpretação maldosa da imprensa. Leiam Reinaldo Azevedo na Veja e vejam onde é que a imprensa quer chegar. Eu acho que, curiosamente, Reinaldo diz o que todos querem dizer. Para explicação de um linguista, vejam aqui:

http://terramagazine.terra.com.br/interna/0,,OI5137669-EI8425,00-Aceitam+tudo.html

wasm™ disse...

Lúcio entendi sim,pelo menos de minha parte.Se a imprensa explora algo novo é até de se esperar,afinal querem o quê?
Vender!
Mas vamos mudar de lado,como disse nos tópicos do orkut:me posicionei sob o ponto de vista do aluno,que é o meu caso.
Se por um lado ela quis (quer e vai) enfatizar a FALA por outro ela vai deixar a escrita um pouco confusa.Como explicar pra um aluno,jovem que também será o destino do livro,a falar de um jeito (dizendo que está correto)e escrever de outro,e ainda por cima sendo cobrado por todo o 'resto' (concursos,vestibulares e afins)?
Se pararmos pra pensar as escolas e os professores já fazem isso,sempre explicaram a diferença da língua culta e a coloquial,mas dizendo sempre não ser o correto,o que é diferente de se escrever um livro dizendo que sim.
Se o problema é a fala,por que então não adicionarem um curso de oratória nas escolas públicas?
Ou mesmo os professores de Português administrassem os horários para que uma parte fosse destinada exclusivamente à fala?
Apesar de toda essa polêmica a professora conseguiu que a sociedade voltasse os olhos para um problema antigo:a falta de flexibilidade com as palavras dos nossos alunos.Ela quis sanar o problema,porém provocou outro,que seria desnecessário.
Se no lugar do capítulo "problemático" ela optasse por um capítulo com técnicas de oratória,seria mais vantajoso,talvez não repercutisse tanto,porém em meu modo de pensar seria mais proveitoso.

Bernardo disse...

Cara amiga

Por que o Lula não pode cobrar 200 mil por uma palestra e o Fernando Henrique pode. Dar palestras é um trabalho tão honesto quanto lecionar. Ah já sei...o Fernando Henrique dá palestras na lingua culta não é mesmo, em alguns casos até mesmo em Ingles e Frances,e ele estudou na Sourbonne não é mesmo, o Lula nordestino de Garanhuns fala "nois pode" ao invés de Yes we can. É isso que está por trás de toda essa conversa, é a ideologia da classe "culta" e superior.

wasm™ disse...

Não só pode como ele cobra!
Aproveitando lógico sua onda de popularidade,muito normal.Um operário que conseguiu chegar à presidência,méritos a ele.
Quem disse que não é honesto?
É,e muito honesto!
Se viram um potencial nele o que podemos fazer?
Talvez minha concepção mude após ver uma palestra do egrégio.
(Sinceramente?Antes o Lula que o FHC)

Ominia Vincit ~ Força Sempre disse...

Realmente não dá pra ELES cobrarem resultados oferecendo meios erroneos, como aplicar norma culta depois de uma "brincadeira" dessa?
ok ok, agora so falta chamarem o LULA pra ensinar gramatica nas escolas ...
¬¬' esse é o nosso Brasil oO

:)) ;)) ;;) :D ;) :p :(( :) :( :X =(( :-o :-/ :-* :| 8-} :)] ~x( :-t b-( :-L x( =))

Postar um comentário

Mostre aqui que você pensa!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...